Dia das Mães: o ponto alto do primeiro semestre

O Dia das Mães é a segunda data sazonal mais importante no comércio, ficando atrás apenas do Natal. É um dos alicerces do setor varejista no ano.

Postado no dia em Mercado

Mercado

O Dia das Mães é a segunda data sazonal mais importante no comércio, ficando atrás apenas do Natal. É um dos alicerces do setor varejista no ano.

Em meados do mês de abril, desde que a Páscoa já tinha passado, os anúncios, as promoções e as campanhas publicitárias já começam a sinalizar a chegada do Dia das Mães. O segundo domingo de maio só não é mais importante que o Natal para o comércio. Segmentos como a venda de perfumaria, vestuário, calçados e floricultura são alguns dos que mais apresentam aumento nos resultados nesta época.

A data movimenta setores da economia que vão além do varejo, contudo. Serviços como salão de beleza, restaurantes e vendas de ingressos para shows musicais também são positivamente impactados. E não são só as mães as presenteadas. O comportamento mais generoso do consumidor brasileiro também faz com que as compras sejam feitas para as sogras, esposas, avós, irmãs, tias.

Neste ano, porém, a desaceleração na economia e o endividamento dos consumidores prometem resultados mais mornos para os setores envolvidos. O crescimento do movimento do comércio em abril, por exemplo, ficou em 0,5%, bem abaixo da alta de 2,7% de fevereiro para março, de acordo com uma pesquisa divulgada na quinta-feira, 7, pela Serasa Experian.

A intenção de compra dos consumidores também caiu. Segundo um levantamento feito pelo Serviço Central de Proteção ao Crédito (Boa Vista SCPC), para uma grande parcela dos brasileiros, o Dia das Mães deve ser mais magro neste ano. Em 2014 a parcela de pessoas que tinham a ideia de presentear a mãe na data era de 86%. Em 2015, a mesma pesquisa apontou para um índice de 75% dos consumidores entrevistados.

Além do número maior de pessoas que não pretendem comprar presentes, o valor deve ser mais baixo também. Entre os pesquisados, 38% afirmou que pretende gastar menos neste ano e 37% pretende parcelar o valor da lembrança.

Os itens mais procurados para a data são os de uso pessoal, como calçados, vestuário, cosméticos e joias. Estes representam 43% das intenções pesquisadas, Em seguida, os eletrodomésticos, móveis e itens para a casa equivalem a 20%.

VENDAS ONLINE

Cada vez mais o brasileiro está comprando de tudo pela internet. E as lojas on-line não perdem mais tempo nestas datas com promoções especiais e campanhas que fazem com que o e-commerce seja um dos setores que mais crescem na economia.

Segundo o site E-bit, o Dia das Mães deverá movimentar cerca de R$ 1,9 bilhão neste ano, o que representa uma alta de 18% em relação aos R$ 1,6 bilhão gerado em vendas no mesmo período do ano passado. Os produtos mais vendidos nas redes são livros, acessórios, eletrodomésticos, cosméticos e vestuário nesta data. A pesquisa também afirma que o valor médio das compras deve subir.

CAMPANHAS

As grandes promoções e campanhas no varejo, que também são quase um ritual obrigatório no Dia das Mães, devem sofrer os efeitos do menor interesse para compra por parte dos consumidores neste ano. De acordo com uma pesquisa da GSGroup Consultoria, o número de shoppings centers que optaram por grandes promoções para esta data diminuiu 6%.

O carro zero como prêmio principal dos sorteios entre os clientes ainda é o preferido desses estabelecimentos. Dos empreendimentos pesquisados, 40% deve sortear um veículo zero quilômetro entre os clientes que gastarem o mínimo necessário para o cupom. Entre os outros prêmios oferecidos em promoções semelhantes estão os “dias de beleza”, viagens e vales-compras de valores diversos.

A faixa mínima necessária para a participação, porém, aumentou. Neste ano, 28% condicionou os cupons a um valor mínimo de gastos entre R$ 300 e R$ 399 por cliente, enquanto no ano passado a maioria já incluía clientes que desembolsassem entre R$ 200 e R$ 299.

DATA MAIS IMPORTANTE DO PRIMEIRO SEMESTRE

Mesmo com um cenário econômico em desaceleração, o que faz com que os consumidores fiquem relativamente mais inseguros, as datas especiais são de extrema importância para o comércio. O setor não possui estabilidade absoluta em relação à lucratividade ao longo de todo o ano.

Na Páscoa, por exemplo, mesmo com uma movimentação no varejo mais fraca com relação aos anos anteriores, o período demonstrou um aumento de 0,3%. O resultado é modesto, mas é um diferencial importante ante aos períodos considerados comuns para o comércio.

O Dia das Mães é um dos alicerces do setor varejista e o período mais lucrativo da primeira metade do ano. Seu papel é essencial no fortalecimento deste segmento que gera emprego, fortalece a economia, impacta na indústria e contribui para a valorização da economia do país.

< Voltar

Leia Também